Notícia


Evento histórico da medicina mundial teve a participação da AsBIO.

Entre 31 de Julho e 01 de Agosto de 2013, realizou-se na Universidade Thomas Jefferson na Filadélfia, o Consenso Internacional sobre Infecções Protéticas. Este evento, sob a coordenação geral do Dr. Javad Parvizi (Universidade Thomas Jefferson e Instituto Rothman, EUA) e Dr. Thorsten Gehrke (Endo-Klinik, Hamburgo, Alemanha) foi considerado único e inédito dentre todas as especialidades médicas. Quatrocentos Delegados de 58 países, representando mais de 100 Associações Médicas em todo o mundo, incluindo a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT) e a AsBIO, participaram deste processo, que no total durou 10 meses para sua preparação. Diferentes disciplinas foram representadas, tais como: Cirurgia Ortopédica, Doenças Infecciosas, Patologia Musculoesquelética, Microbiologia, Anestesiologia, Dermatologia, Medicina Nuclear, Reumatologia, Radiologia Musculoesquelética, Cirurgia Veterinária e numerosos cientistas com interesse especial em Infecções Ortopédicas

O Brasil contou com 4 Delegados: Luiz Sérgio Marcelino Gomes (Batatais, SP), Marco Aurélio Telöken (Porto Alegre,RS), Nelson Keiske Ono (São Paulo, SP) e Pedro Ivo de Carvalho (Rio de Janeiro, RJ).

Imagem AsBIO em Evento Histórico
Delegação Brasileira em Recepção na Residência do Dr. Parvizi. (da esquerda para a Direita). Drs: Nelson Ono, Marcelino, Parvizi, Pedro Ivo e Telöken.

Os Delegados foram previamente escalados em diferentes grupos de estudo (Grupo 1: Mitigação e educação em comorbidades associadas com a Infecção do sítio cirúrgico e infecções protéticas, Grupo 2: Preparação perioperatória do sítio cirúrgico, Grupo 3: Antibióticos perioperatórios, Grupo 4: Ambiente cirúrgico, Grupo 5: Conservação sanguínea, Grupo 6: Escolha do implante, Grupo 7: Diagnóstico de infecção protética, Grupo 8: Manejo da ferida cirúrgica, Grupo 9: O uso de espaçadores, Grupo 10: Irrigação e debridamento, Grupo 11: Tratamento antibiótico e intervalo para reimplantação, Grupo 12: Tratamento em 1 ou 2 tempos cirúrgicos, Grupo 13: Manejo de infecções fúngicas ou atípicas, Grupo 14: Uso de antibióticos orais e Grupo15: Prevenção da infecção tardia).

Em uma fase inicial que durou 10 meses, foram constituídos os grupos de estudo, elaboradas as questões a serem discutidas, gerado o consenso e as justificativas, fundamentadas em referências bibliográficas pertinentes. Este processo se deu por comunicação através de uma rede social especificamente criada para este fim, em que cerca de 23.500 comunicações foram recebidas e enviadas, e mais de 3.500 publicações foram avaliadas. Desta forma, as evidências quando disponíveis foram consideradas, caso contrário, o conhecimento acumulado de todos delegados foram utilizados para chegar a um consenso sobre as práticas que carecem de maior nível de evidência.

Depois de sintetizar a literatura e montar um anteprojeto de declaração de consenso utilizando-se do método Delphi, em uma segunda fase (31 de Julho de 2013), os diferentes grupos se reuniram separadamente, com a liderança de um coordenador, para discussões ativas, resolver as discrepâncias, finalizar suas declarações. Nesta fase O Presidente da AsBIO, Prof. Dr. Luiz Sérgio Marcelino Gomes, atuou também como coordenador do Grupo 5, que avaliou a conservação sanguínea. Em seguida, em uma terceira fase, os coordenadores se encarregaram de apresentar as declarações de consenso em uma assembléia geral, para discussão e revisão. Uma vez montada as Declarações de Consenso, o documento finalizado, com 264 perguntas, foi submetido a votação pelo Sistema Interativo com a presença de todos os delegados (quarta fase, dia 01.08.2013).

Imagem AsBIO em Evento Histórico
Auditório da Universidade Thomas Jefferson durante a Votação do Consenso.

O processo de votação foi realizado utilizando teclados eletrônicos, onde se podia concordar com a afirmação de consenso, não concordar com a declaração de consenso, ou abster-se de votar. A força do consenso foi julgada pela seguinte escala: 1) maioria simples: não há consenso (50,1-59% de concordância), 2) Super maioria: Consenso fraco (60-65% de concordância), 3) Super maioria: forte consenso (66-99% de concordância) e 4), por unanimidade: 100% de concordância.

O texto final deverá estar impresso, originalmente em Inglês, em Setembro de 2013 e disponível para a comunidade médica mundial, em diferentes idiomas, a partir do final de 2013.

Como salientam os coordenadores gerais, o documento elaborado é o resultado de inúmeras horas de trabalho desses agentes, dirigentes e delegados dedicados a esta iniciativa histórica. A informação veiculada neste importante documento é baseada em evidências, sempre que existentes, ou é o resultado da sabedoria acumulada de mais de 400 especialistas de 58 países. Estamos certos de que as "diretrizes de melhores práticas" definidas por esta iniciativa servirá muito aos nossos pacientes nos próximos anos.

Associação Brasileira para o Estudo de Infecções e Implantes Osteoarticulares | Todos os direitos reservados 2021